Skip to content
Close

Sinalização Semafórica

SINALIZAÇÃO SEMAFÓRICA

    • Grupos focais convencionais e a Leds
    • Botoeiras convencionais e sonoras
    • Elementos de sustentação (colunas e braços projetados)
    • Controladores
    • Acessórios
    • Serviços e instalações
semaforica2

A sinalização semafórica é uma tipologia de sinalização de regulamentação que tem a função de efetuar o controle do trânsito em cruzamentos, seção de via ou para a travessia de pedestres. Geralmente, sua utilização é para áreas urbanas, mas pode ser aplicado em rodovias quando essas estão em situação de travessias urbanas. É um dispositivo eletroeletrônico, que através de um controlador eletrônico, controla indicações luminosas, alternando o direito de passagem dos vários fluxos de veículos e/ou pedestres. O semáforo (também conhecido popularmente como sinal, sinaleira e farol ou sinal luminoso), serve como um instrumento utilizado para controlar o tráfego de veículos e pedestres, sendo utilizado em quase todo o mundo. O semáforo é um dispositivo de controle e segurança tanto de veículos como de pedestres.

Em geral, a sinalização semafórica engloba três tipos básicos de semáforos, com variações de dimensão, forma e disposição. O primeiro é o mais conhecido, sendo composto por grupos focais de três cores, que tem a função de controlar os deslocamentos de veículos, alternando o direito de passagem de veículos em cruzamentos, podendo ser encontrado com diversas fases ou tempos semafóricos. O segundo um tipo de semáforos de advertência, que consistem apenas em um ou mais grupos focais, que emitem sinais luminosos – geralmente amarelos, que visam advertir a existência de obstáculos a frente. O terceiro tipo é o semáforo de pedestres, composto por um ou mais grupos focais, que trabalham acoplados aos semáforos de veículos, permitindo e orientando a passagem dos pedestres, de acordo com o vermelho dos semáforos de veículos.

O semáforo é um dispositivo de controle e segurança para pedestres e veículos. Devido a sua característica de intervir e controlar o direito de passagem para os diferentes movimentos e tempos de passagem de veículos ou de pedestres, nas intersecções ou em outros locais ao longo das vias, o semáforo exerce grande influência sobre o fluxo de trânsito e no desempenho do tráfego.

Os semáforos são controlados por controladoras eletrônicas que permitem a programação de diversas fases ou tempos semafóricos, podendo ser utilizados desde uma travessia de pedestre no meio de uma quadra, quanto em cruzamentos altamente complexos de veículos e pedestres, que demandam orientação e controle para diversos tempos focais e o estabelecimento de prioridades de passagem, assim como o tempo de abertura de cada fase. Podem ser controlados por comando de programação local ou remotos, quando acoplados em sistemas de comunicação entre a controladora e uma central de controle.

A sinalização luminosa tem por finalidade alertar, advertir ou orientar condutores de veículos e pedestres. Tal sinalização somente pode ser implantada pela ou com autorização da autoridade pública.

VANTAGENS DA SINALIZAÇÃO SEMAFÓRICA:

Os semáforos, quando bem projetados, implantados e mantidos, propiciam as seguintes vantagens:

  • Reduzem a possibilidade e a frequência da ocorrência de acidentes;
  • Permitem o controle e a interrupção do trânsito de veículos e de pedestres, organizando as passagens de forma a oferecer segurança;
  • Organizam o trânsito nos cruzamentos e outras intersecções complexas, reduzindo e diminuindo os conflitos veículo X veículo e veículo X pedestres;
  • Aumentam quando bem programados a capacidade de escoamento do tráfego;
  • Podem ser programados e coordenados com diversas programações visando propiciar movimentos contínuos (onda verde ou vermelha), ao longo de uma determinada rota;
  • Podem ser programados com diferentes programações horárias – podendo funcionar como piscantes de alerta em determinados horários de baixo tráfego pra efeito de segurança.

O Código de Trânsito Brasileiro de trânsito, também estabelece que a sinalização semafórica possa atuar como sinalização de alerta – piscante, de forma temporária ou definitiva. A forma piscante mais comum é o de alerta (amarelo piscante), mas outras formas também podem ser aplicadas:

  1. Amarelo-alaranjado significando “ATENÇÃO”;
  2. Amarelo ou vermelhos – “ROTATIVO”;
  3. Piscante em Vermelho significando -” PARE”; e
  4. Amarelo piscante em locais de entrada e saída de veículos.

A sinalização semafórica piscante pode ser utilizada de forma definitiva em sinalização de canteiros de obras, para advertência e segurança para os usuários. 

A sinalização semafórica é composta por:

  • Grupos focais veicular – São os equipamentos que se compõe as indicações luminosas nas cores preestabelecidas (vermelho, amarelo e verde), agrupadas num único conjunto, dispostas vertical ou horizontalmente – ao lado ou suspensas sobre a via, transmitindo informações aos veículos, pedestres, motociclistas e ciclistas. Os componentes de cor podem ser resultantes de elementos em LEDs ou convencionais com lentes coloridas sobrepostas sobre fonte de luz. Em geral são redondos, mas podem ser encontradas variações de forma. São empregados nas vias e rodovias com ou sem anteparo de contraste. Podem ser encontrados também encapsulados em totens, caixas especiais e outras formas, porém, sempre mantidas as cores e a sequência de abertura e fechamento das mesmas;
semaforo
  • Anteparo – O anteparo para grupo focal é uma placa em chapa de metal ou alumínio, com acabamento preto fosco, que contém suportes regulável para fixação ao grupo focal. O Anteparo deve ser adesivado com películas retrorrefletivas, na cor branca, em toda a orla e na altura do módulo focal amarelo, uma faixa na largura do foco até as laterais;
anteparo1
anteparo2
  • Grupos focais de pedestres – São destinados a regular o trânsito de pedestres nas travessias regulamentadas e é constituído por um sistema de duas luzes, com as cores vermelha – que indica a proibição de travessia da faixa, e a cor verde que indica autorização para a passagem. São redondos ou quadrados, podendo conter símbolos ou legendas, ou somente as cores: verde (Passar), e vermelho (Pare). Podem ser utilizados individualmente ou conectados aos semáforos de veículos e de ciclovias. Por vezes os grupos focais de pedestres apresentam contagem regressiva de números informando quantos segundos faltam para o fechamento. Também podem se apresentar apenas de forma colorida e piscante;
anteparo3
  • Grupos focais de cicloviasSão redondos ou quadrados, podendo conter símbolos ou legendas. Podem ser utilizados individualmente ou conectados aos semáforos de veículos e pedestres. Podem ser compostos para funcionar com dois grupos focais apenas (verde e vermelho), ou com o grupo de atenção (amarelo). Podem ser em Leds ou convencionais, com os símbolos gravados nas lentes;
grupo focal
  • Controladores de tráfegoSão dispositivos eletrônicos (no passado se utilizavam dispositivos eletromecânicos não mais em uso), para o gerenciamento de tráfego que auxiliam otimizando a circulação de veículos e pedestres nas ruas. São equipamentos que comandam os grupos focais para a comutação das luzes dos focos. Em geral, são modulares, ou seja, apresentam várias capacidades de programação de tempos semafóricos, permitindo que os equipamentos sejam configurados de acordo com a realidade e peculiaridade de cada cruzamento. Os controladores podem ser em tempo fixo, ou seja, pré-programados para operação em tempos de abertura e fechamento fixos e, em tempo real, ou seja, com programação alterável de acordo com a necessidade de tráfego a partir de uma central de controle;
Sinalização Semafórica
  • Gabinete do controlador – Em geral são feitos em alumínio ou aço, com pintura protetora, podendo ser fixados em postes ou em bases de cimento, interligados por cabos aos grupos focais e fonte de energia. O gabinete é instalado sobre uma base, em geral, implantada nas calçadas e/ou canteiro central das avenidas, onde sobre ela é instalado do gabinete do controlador semafórico;
  • Banco de Baterias (No Break) – Em função da grande prioridade da sinalização semafórica em caso de queda de energia, grande parte do parque semafórico adota a utilização de banco de baterias (No Break), que tem a função de manter o sistema semafórico em funcionamento, mesmo em caso de queda de energia elétrica. Em geral, funcionam em sistema de backup, ou seja, o conjunto funciona acoplado na rede de energia elétrica da cidade e somente entra em ação em caso de queda de energia da rede, podendo manter o funcionamento do sistema semafórico a ele interligado por determinado tempo estabelecido em projeto;
Sinalização Semafórica
  • Aterramento elétrico – É um componente que nem sempre está à vista, mas é extremamente importante para a segurança do conjunto. Trata-se da ligação do conjunto à terra visto que são equipamentos eletrificados e metálicos, que podem transferir a energia para as pessoas. Visam ligar a estrutura metálica e os componentes através de condutor elétrico a uma haste metálica enterrada (aterramento), de modo a obter a menor resistência de aterramento e manter o mesmo potencial elétrico entre as partes (equipotencialização);
Sinalização Semafórica
  • Rede de Dutos e Caixas de Passagem – Correspondem a todos os elementos que servem de passagem para os cabos de ligação da rede elétrica a Controladora e No-Break e, destes aos grupos focais dos semáforos. As caixas de passagem, em geral são em concreto ou alvenaria, podendo ser também plásticas, sendo equipadas com tampa – em geral de ferro ou aço de alta resistência, tendo a finalidade de proceder à abertura e fechamento da caixa, bem como resistir as solicitações de carga sobre a mesma, contendo travas para proteção e segurança quanto ao roubo de cabos. A rede de cabos é instalada em geral por rede subterrânea interligando todo o conjunto do cruzamento, e servem para facilitar a instalação de condutores e fiação elétrica. Em alguns casos, podem se apresentar aéreas, dentro de dutos ou expostas. Trata-se de uma tubulação especial desenvolvida e construída de acordo com as normas de segurança, sendo neste caso especifico para a passagem de fiações elétricas e condutores, via os dutos e caixas de passagens instalados sob a superfície do solo no cruzamento semaforizado.
  • Elementos de sustentação (colunas e braços projetados)São elementos feitos em aço, com galvanização a fogo – (Zincagem por imersão a quente), visando sua proteção contra a corrosão. São compostos por postes, braços projetados, pórticos e cordoalhas, que projetam os grupos focais sobre a via, para a sustentação de grupos focais (veiculares, pedestres e de ciclistas), botoeiras e mesmo placas de sinalização. Em geral os suportes para fixação dos semáforos têm formato de seção circular ou cônica, tanto para os postes quanto para os braços projetados. Os suportes são fixados em blocos de Fundação, que são estruturas de volume em concreto armado usadas para transmitir ao solo, de forma direta ou por estacas, as cargas dos postes semafóricos e do efeito do vento sobre o conjunto. Os suportes semafóricos devem manter uma altura livre adequada do pavimento para permitir a passagem de veículos altos – medida da face do braço projetado até o ponto mais elevado do pavimento da pista;
cordoalha
  • Botoeira para atuação de pedestres – utilizadas em casos onde exista a travessia de pedestres (embora não obrigatória), as botoeiras servem para acionamento e solicitação de priorização dos tempos de semáforo de pedestres. São compostas de gabinete confeccionado de forma a permitir a perfeita instalação nas colunas próprias ou semafóricas, que contém um botão instalado que permite o acionamento com facilidade. As botoeiras podem ser de acionamento simples ou com sinal sonoro, que permite melhor percepção por pessoas com necessidades especiais. Assim como os demais componentes, devem possuir vedação contra intempéries e perfeita isolação dos seus componentes, a fim de evitar choque elétrico aos usuários;
botoeiras
  • Caixa de Medição – É instalada para permitir a alimentação de energia elétrica da rede no conjunto semafórico, conforme padrão estabelecido pela Concessionária local de energia. A caixa de medição deve ser confeccionada e montada de acordo com as especificações técnica da concessionária, servindo também para a aferição do consumo de energia.
  • Acessórios e cabos – Compõem ainda o conjunto semafórico os acessórios de instalação, como: Cabos de Ligação Elétrica – para alimentação elétrica do conjunto, Cabos de Sincronização – cabos de dados para a comunicação entre o controlador semafórico e os grupos focais, Juntas de Vedação – que tem a finalidade de criar e manter uma condição de estanqueidade e vedação dos componentes, preenchendo as imperfeições da superfície, e impedindo a entrada de poeira e umidade, Flanges para união dos componentes metálicos, Parafuso Chumbador – que são utilizados para fixação dos elementos metálicos nos blocos de fundação, entre outros específicos do local.

SERVIÇOS EXECUTADOS

bg-curvas-rodape-final
sinalta-propista-logo br2

Há mais de 35 anos salvaguardando vidas. Somos especialistas em Segurança Viária, Sinalização de Tráfego e Comunicação Visual.

Horário de Atendimento

Segunda a sexta das 08:30 às 18:18.
Após esse horario, funciona o plantão, 24 horas por dia, 7 dias por semana e 365 dias por ano.

Empresa certificada ISO 9001

FALE CONOSCO

R. Salvador Padilha Gimenes, 117 - Limão, São Paulo/SP CEP: 02562-130

© SINALTA PROPISTA | Desenvolvido por Hug Criação de Sites